post roadstories delanchy herobanner

A subtil arte de integrar energias alternativas no transporte

Publicado a 1 de setembro de 2021 - 6 minuto(s) de leitura

A empresa de transportes refrigerados Delanchy tem um compromisso de longa duração com a redução da sua pegada ambiental e a adoção de energias sustentáveis para os seus camiões. Com o aparecimento de numerosas novas tecnologias, ao mesmo tempo que os custos se mantêm elevados, é preciso uma convicção forte para abrir o caminho. E as frotas de grandes dimensões são, frequentemente, as primeiras protagonistas da mudança!

Ouça o nosso podcast:

post roadstories delanchy photo1

Joseph Delanchy fundou a sua empresa de transportes em 1968 com o intuito de fornecer marisco fresco todos os dias a Paris e Lyon, com origem na costa da Bretanha. Um homem com ideias, à frente do seu tempo e com um grande interesse em inovações tecnológicas, que tinha a intensão de levar a cabo a sua atividade ao mesmo tempo que preservava o ambiente tanto quanto possível. Até ao presente, a sustentabilidade faz parte do ADN da Delanchy. O grupo, que manteve a sua especialização no campo de produtos frescos não congelados à medida que se expandia a nível internacional, está permanentemente a tentar novas soluções para ajudar a indústria de transportes a ser mais amiga do ambiente.

Nos últimos anos, aumentámos os nossos investimentos em energias alternativas e intensificámos o trabalho com os nossos parceiros como os fabricantes”, conforme explicou Nicolas Muet, Diretor de Comunicações e Parcerias da Delanchy*. “Embora todas estas tecnologias sejam novas e dispendiosas, pretendemos ser protagonistas da mudança e, por isso, estamos a investir nelas com base na convicção.”

Tecnologias totalmente ecológicas

Em consequência desta convicção, a frota da empresa que serve a França, assim como a maior parte da Europa ocidental, cumpre as normas ambientais mais recentes. Além disso, inclui 40 camiões com motores a gás natural e dois veículos 100 % elétricos, sendo que um é um protótipo. “No que respeita ao primeiro em Lyon, fez parte da nossa parceria com a Renault Trucks”, afirma Nicolas. “Começámos a utilizar este camião em 2017 e apresentamos reações da vida real. Posteriormente, em 2020, acrescentaram um camião frigorífico à sua gama elétrica, sendo que comprámos o primeiro modelo. Agora, é utilizado diariamente na zona de Paris, em substituição de um camião a gasóleo no seu percurso.”

Além de estar a substituir progressivamente os veículos a gasóleo por veículos com propulsão a energias alternativas, a Delanchy está igualmente a experimentar novas formas de soluções de energia que estão a chegar ao mercado: biodiesel e combustíveis alternativos, assim como hidrogénio.

O Grupo DELANCHY manteve-se na esfera da família e independente.

Brigitte e Frédéric (dois dos filhos do Sr. Delanchy), que gerem atualmente a empresa, partilham a mesma visão do seu pai e estão convencidos do interesse do hidrogénio no transporte.

Prestaram uma atenção particular ao desenvolvimento desta energia nova e muito aguardada há vários anos. Em 2020, foi celebrada uma parceria com a CHEREAU, um fabricante de carroçarias para camiões, com vista a testar o semirreboque frigorífico que desenvolveram, em que o sistema de refrigeração funciona a células de combustível de hidrogénio. “Vamos ser os primeiros a utilizar o seu modelo pré-série quando for lançado no início de 2022”, acrescenta Nicolas. “Paralelamente, estamos em contacto com outros fabricantes para testar em breve camiões de hidrogénio.”

Ajudar a acelerar a inovação

O princípio subjacente que orienta a estratégia da Delanchy é participar no desenvolvimento de energias alternativas e ajudar a que o amadurecimento das referidas energias seja mais rápido por via do investimento agora em vez de esperarmos pela descida dos preços numa fase posterior. “Desempenhamos o nosso papel e, a seguir, adquirimos a tecnologia quando estiver pronta”, resume Nicolas. “Não pretendemos que as mudanças nos sejam impostas, sendo essa a razão por que somos umas das únicas empresas que experimentam e investem em todas as energias alternativas. Embora sejamos apenas uma empresa de transporte, podemos ajudar os fabricantes a inovar.”

O mesmo princípio se aplica a todos os restantes aspetos das atividades da Delanchy, de pneus que são sistematicamente reesculpidos e recauchutados, para aumentar a sua longevidade, a edifícios, aos quais a empresa aplica os padrões mais elevados em matéria ambiental: tem instalado painéis solares sempre que possível e mantido um elevado nível de sensibilização dos colaboradores no que diz respeito a sustentabilidade.

O importantíssimo fator humano

Por que razão realçar a sensibilização dos colaboradores? Tendo em conta que, apesar de ser um elemento fundamental ,o fator humano é com frequência negligenciado na implementação de políticas de sustentabilidade. Nicolas explica que a Delanchy ministra há muito tempo formação aos seus condutores sobre temas como condução ecológica e redução do consumo de combustível. “Pretendemos manter o mesmo nível de formação e sensibilização no que respeita a energias alternativas”, afirma. “Por exemplo, é preciso que os condutores de camiões elétricos adaptem a sua condução de modo a aumentarem a autonomia das baterias. Na adaptação das novas tecnologias, não podemos ignorar o fator humano.”

Então, o que é que os condutores da empresa pensam sobre tudo isto? Segundo Nicolas, todos os que experimentaram camiões elétricos, por exemplo, ficaram convencidos. Apreciam o silêncio, a fluidez e o facto de estarem a contribuir para mudar a imagem do transporte, deixando de ser uma indústria suja e poluente. “A maioria dos nossos condutores tem sentimentos fortes sobre a necessidade de reduzir emissões, estando, por isso, recetiva e disposta.”

Logicamente, a mudança para a energia limpa não está isenta de contratempos e dificuldades. Os camiões elétricos não têm a mesma versatilidade dos seus homólogos equipados com motor de combustão porque é necessário ter em conta os tempos de carregamentos e as respetivas instalações. Mesmo no que respeita aos veículos a gás natural, o reabastecimento pode, por vezes, ser um problema, com longas filas de espera porque a infraestrutura não está ainda totalmente desenvolvida apesar de ser uma tecnologia madura. No que respeita ao hidrogénio, está ainda numa fase precoce, mas, à semelhança das tecnologias florescentes, trata-se da questão da galinha ou do ovo: alguém tem de fazer rolar a bola para, de facto, arrancar e passar a ser uma energia limpa competitiva, e a Delanchy pretende ser um protagonista nesse âmbito.

* Entrevista a Nicolas Muet, Diretor de Comunicação e Parcerias da Delanchy a 1 de junho de 2021.

post roadstories delanchy photo2

post roadstories delanchy photo2

Algumas sugestões antes de se mudar para os transportes não poluentes

Nicolas Muet tem alguns conselhos a dar às empresas de transporte que pretendem substituir a sua frota de camiões com motor a combustíveis fósseis.

Em primeiro lugar, é preciso acreditar na direção que uma empresa está a seguir e ter uma forte convicção de que a adoção de energias alternativas é positiva não só para a sua empresa, mas também para o planeta.

Também ajuda ser curioso sobre as novas tecnologias e a inovação. O facto de se ter antecipadamente um espírito aberto constitui um incentivo natural para as empresas que apostam em estar à frente das mudanças, em vez de esperarem que ocorram.

Algumas sugestões antes de se mudar para os transportes não poluentes

Nicolas Muet tem alguns conselhos a dar às empresas de transporte que pretendem substituir a sua frota de camiões com motor a combustíveis fósseis.

Em primeiro lugar, é preciso acreditar na direção que uma empresa está a seguir e ter uma forte convicção de que a adoção de energias alternativas é positiva não só para a sua empresa, mas também para o planeta.

Também ajuda ser curioso sobre as novas tecnologias e a inovação. O facto de se ter antecipadamente um espírito aberto constitui um incentivo natural para as empresas que apostam em estar à frente das mudanças, em vez de esperarem que ocorram.

post roadstories delanchy photo3

post roadstories delanchy photo3

Conforme referido, as novas tecnologias são na sua essência dispendiosas. Apenas as empresas com uma base financeira saudável, e que podem suportar os investimentos necessários, terão a capacidade de abrir o caminho para as energias alternativas.

Dito isto, a participação em grupos de discussão é outra forma muito útil de participarmos no desenvolvimento das novas energias e respetivo ecossistema. As coisas estão a desenvolver-se tão rapidamente que se torna essencial reunir todos à volta de uma mesa para se encontrar as melhores soluções e promover em conjunto estas mudanças necessárias.

Conforme referido, as novas tecnologias são na sua essência dispendiosas. Apenas as empresas com uma base financeira saudável, e que podem suportar os investimentos necessários, terão a capacidade de abrir o caminho para as energias alternativas.

Dito isto, a participação em grupos de discussão é outra forma muito útil de participarmos no desenvolvimento das novas energias e respetivo ecossistema. As coisas estão a desenvolver-se tão rapidamente que se torna essencial reunir todos à volta de uma mesa para se encontrar as melhores soluções e promover em conjunto estas mudanças necessárias.

arrow highlight yellow

A Delanchy utiliza estes dois pneus da Michelin que são os melhores em termos de eficiência de combustível:

  • Para transporte de longo curso: X® LINE™ ENERGY™ Z2/D2 (22.5)
    A mais recente tecnologia de resistência ao rolamento para o seu camião!
  • Para transporte regional: X® MULTI™ ENERGY™ Z/D
    A sua empresa utiliza vias rápidas, autoestradas e estradas municipais, além de fazer entregas em qualquer local e em qualquer condição. Pretendem-se pneus que reduzam o consumo de combustível.

Junte-se à comunidade !

Ao fornecer o meu endereço de e-mail e clicar no botão abaixo, eu concordo com os Termos de utilização e com a Política de Privacidade, forneço a minha assinatura eletrónica e consinto em receber e-mails de marketing automatizados, independentemente de qualquer registo anterior na lista de exclusão de qualquer empresa, estatal ou nacional da Michelin North America, Inc. O consentimento não é uma condição para qualquer compra. Pode optar ativamente por não participar a qualquer momento. Um representante Michelin pode contactá-lo se demonstrar interesse em ser contactado relativamente a uma oferta de serviço ou produto. O Representante pode ser o seu Representante de Vendas da Michelin ou um Distribuidor Autorizado da Michelin na sua área. A Michelin respeita a sua privacidade. As informações que nos enviou estão protegidas pela nossa política de privacidade.

_ *
É um…
  • Utilizador final
  • Revendedor de pneus
  • Outro
Tamanho da frota *
  • 20 ou menos
  • More than 20
  • Não faço a gestão de camiões

Está a utilizar um Browser não suportado por esta web

Está a utilizar um browser que não é suportado por este website. Isto significa que algumas funcionalidades podem não funcionar como pretendido e podem ocorrer comportamentos estranhos ao navegar neste site.

Utilize ou atualize/instale um dos seguintes browsers para tirar o máximo partido deste website.

Firefox 78+
Edge 18+
Chrome 72+
Safari 12+
Opera 71+